Times brasileiros terão parceiro ligado à criptomoedas

Duas equipes brasileiras de futebol, o Atlético Paranaense e o Corinthians, assinaram recentemente parcerias com a startup de criptomoedas Inoovi. A empresa, que tem sede em Hong Kong, recentemente lançou seu símbolo “IVI” especificamente para o esporte.

O presidente do Conselho Deliberativo do Atlético Paranaelse, Mário Celso Petraglia, revelou a parceria nesta semana. Segundo ele, a parceria se revela como uma “inovação no mercado esportivo brasileiro”.

De acordo com o divulgado pelo time, a parceria dá ao Atlético-PR um período de carência de 12 meses para começar a usar o token da IVI e promover o Inoovit, adicionando seu nome aos uniformes e ao site da equipe, incentivando a equipe a usar o token da empresa.

Após o período de carência de 12 meses, o clube e a empresa por trás dele começarão a utilizar a criptomoeda nas negociações, para pagar os salários e outras despesas. Petraglia revelou que o clube está sendo pago pela parceria, mas afirmou que só foi o suficiente para lançar uma campanha promocional.

Ele alertou, no entanto, que o ecossistema de criptomoedas ainda está engatinhando, e pediu aos participantes da conferência de imprensa que fossem pacientes, já que nem todos entendem facilmente como funcionam as criptomoedas. Ele adicionou:

“Criptomoedas estão ganhando valor e não temos dúvidas sobre isso. Eu, em particular, farei parte [daqueles que] compram essa moeda como um investimento para minhas economias pessoais e recomendo a todos ”.

Quando perguntado sobre os lucros potenciais que o acordo trará, Petraglia afirmou que pretende transformar o clube usando-os. O diretor executivo e presidente da Inoovi, Loic Lacam, que também estava presente na coletiva de imprensa, acrescentou que a empresa apoiará o clube enquanto estiver começando a usar criptomoedas.

Vale ressaltar que o advogado do Atlético-PR, Marcelo Amoretty, revelou que o Corinthians, outro clube brasileiro de futebol, já assinou um contrato com a startup de criptomoedas. Ele acrescentou que alguns clubes europeus, incluindo Besiktas, Fenerbahce, Galatasaray e Shakhtar Donetsk, estão negociando com a Inoovi, mas ainda não assinaram acordos.

O token de inicialização do IVI subiu de US $ 0,10 para US $ 1,00 após o anúncio, embora não seja possível encontrá-lo em agregadores de dados de criptomoeda comuns, como CoinMarketCap e CryptoCompare. Os portadores de tokens poderão usar o IVI para acessar as salas VIP durante as partidas, encontrar jogadores, comprar equipamentos autografados e comprar ingressos com desconto.

O desenvolvimento de Inoovi acontece no momento em que a Copa do Mundo da FIFA está sendo realizada na Rússia, onde não há muitas oportunidades reais de se pagar com criptomoedas.

Enquanto o desenvolvimento da startup de criptomoedas é considerado notável, os influenciadores do futebol estão entrando no espaço das criptomoedas. No início deste ano, o  lendário jogador Luis Figo revelou-se como o embaixador de marca para a startup de criptomoedas Stryking Entertainment. Em uma entrevista exclusiva com para o portal CCN, Figo revelou que ele ainda não possui nenhuma criptomoeda, depois de reconhecer que a indústria de criptoativos e as empresas dentro dela são “muito novas”.

 


As imagens são cortesia de Pixabay.