MacCoin: a moeda que não é cripto lançada pelo McDonald’s

Para celebrar o 50º aniversário do Big Mac, o McDonald’s lançou o MacCoin, uma moeda global de edição limitada* apoiada pelo Big Mac internacionalmente. Os fãs de todo o mundo podem começar, a pertir do dia 2 de agosto a compartilhar, coletar ou resgatar.

A partir do horário de almoço no dia 2 de agosto, os clientes da rede podem receber um MacCoin a partir  da compra de um Big Mac em 14.000 restaurantes participantes nos EUA, enquanto durarem os estoques. A partir do dia 3 de agosto d 2018, os clientes poderão resgatar seu MacCoin por um Big Mac gratuito nos restaurantes McDonald’s participantes nos EUA e em mais de 50 países participantes (o Brasil está entre eles).

Mais de 6,2 milhões de MacCoins serão distribuídos globalmente em mais de 50 países, enquanto durarem os estoques. Os versos das moedas comemorativas são apresentadas em cinco designs únicos, cada um representando uma década do Big Mac. Cada design da MacCoin traz elementos da época, acenando para a arte, a música e a cultura pop, enquanto de um lado da moeda do MacCoin celebra o 50º aniversário do Big Mac. O MacCoin destaca:

  • Os anos 70, mostrando o poder das flores da década
  • Os anos 80 aludem à arte pop
  • Os anos 90 definidos com formas abstratas ousadas
  • O início dos anos 2000, focando especificamente na tecnologia que estava na vanguarda da virada do século
  • O MacCoin dos anos 10 chama a atenção para a evolução da comunicação

 

* O MacCoin não tem valor monetário e só é resgatável por um Big Mac gratuito nos restaurantes McDonald’s participantes até 2018.

Nossa leitura

Apesar de bastante legal, o nome MacCoin é um pouco enganoso. Ele faz alusão a uma criptomoeda, apesar de não ser uma. Trata-se apenas de uma lembrança.

Mas isto nos faz refletir o quanto a equipe de marketing por trás da campanha e a própria rede MacDonald’s estão cientes da tendência em torno das criptomoedas. Para Daria Generalova, “isto pode ser visto como uma promoção velada da ideia de criptomoeda.Basta pensar na base global de clientes da cadeia: 62 milhões de clientes por dia! Se apenas um em cada dez se perguntarem por que MacCoin rima com bitcoin (algo de que todos já ouviram falar), isso é uma séria e potencial atenção”.

Resta a nós apenas esperar que o McDonald’s passe em breve a aceitar pagamentos com criptomoedas.