Desafio BNDES busca startups de blockchain e criptomoedas para concorrerem a prêmio de R$100 mil

O “Desafio BNDES Fintech”, concurso lançado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi anunciado nesta última segunda-feira, 2. A competição oferecerá premiação de R$ 100 mil  às soluções tecnológicas mais inovadoras  e que sejam voltadas ao voltadas ao mercado financeiro.

Em sua dinâmica, o concurso apresentará nove desafios. Cada fintech poderá escolher de um a mais desafios a solucionar. Os desafios estão relacionados à facilitação e promoção do acesso a crédito e busca do benefício a todas as organizações alinhadas com estes objetivos. O objetivo do concurso é ajudar a fomentar o ecossistema e incentivar o desenvolvimento de soluções inovadoras para os problemas de acesso à crédito e divulgação de produtos e serviços oferecidos pelos competidores.

Inscrições para o Desafio BNDES

Os interessados podem se inscrever até o dia 3 de setembro de 2018 por meio do website do BNDES (www.bndes.gov.br/desafiofintech). As empresas interessadas devem apresentar soluções inovadoras voltadas a:

  • Análise de crédito;
  • Identificação de potenciais clientes;
  • Integração a plataformas digitais;
  • Avaliação de impacto;
  • Digitalização de todo o processo de concessão de crédito;
  • Blockchain e moedas digitais;
  • Prevenção de fraudes;
  • Outras ferramentas de facilitação do crédito a micro, pequenas e médias empresas;

Conforme descrito no edital da competição, apenas deverão participar do concurso empresas que estejam devidamente registradas nos órgãos competentes. O Objeto Social delas deve ser compatível e/ou relacionado ao desenvolvimento de software.

Edifício do BNDES, promotor do Desafio BNDES

Edifício do BNDES. /Rafael Andrade/Folhapress/JC

Critérios de avaliação

Encerrado o período de inscrições para o Desafio BNDES, a equipe do BNDES irá selecionar 10 finalistas. Os selecionados farão uma apresentação presencial no banco prevista para o dia 26 de novembro de 2018. Os finalistas serão avaliados por uma banca composta por:

  • Especialista ou gestor de fundo de investimento em startups;
  • Representantes de entidades externas (Sebrae, Endeavor e Associação Brasileira de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ABDE);

O vencedor conquistará um prêmio de R$ 50 mil, o segundo colocado receberá R$ 40 mil e o prêmio de R$ 10 mil será oferecido ao terceiro lugar.

Ainda conforme o edital, os critérios de julgamento técnico são:

  • (i) Empresa Proponente (peso de 10%):
    • a) Maturidade da Empresa: será considerado seu histórico, faturamento e número de clientes, informados pela Empresa Proponente no “Roteiro de Informações”.
  • (ii) Qualidade da Solução Proposta (peso de 50%): nesse bloco será avaliada a qualidade da solução proposta com base nos seguintes parâmetros:
    • a) Grau de inovação: em função da adoção e/ou desenvolvimento de novas tecnologias e funcionalidades;
    • b) Maturidade: será analisada em função de seu estágio de desenvolvimento, levando-se em conta questões como o número de provas de conceito realizadas e clientes atendidos;
    • c) Escalabilidade: será avaliada em função do número de usuários simultâneos e da capacidade de processamento da solução, respeitando as características de aplicação e o modelo de negócios proposto;
    • d) Viabilidade de Implantação: será avaliada em função da complexidade de adoção da solução, incluindo eventuais restrições técnicas e legais.
  • (iii) Modelo de Negócios (peso de 40%): nesse bloco, serão avaliados:
    • a) Aderência aos objetivos: aderência da Solução proposta às perguntas discriminadas no item 3;
    • b) Modelo comercial: será analisado com relação à sua sustentabilidade e potencialidade de crescimento;
    • c) Potencial de geração de valor para sociedade: avaliado de acordo com o potencial da solução de gerar impacto social e ambiental.

Para ler o edital completo, clique aqui.


Imagem de capa: Pixabay