Criptomoedas voltam a oscilar depois de um novembro desastroso

A última quarta-feira (28) viu a quarta alta consecutiva de criptomoedas como bitcoin, ethereum e litecoin. Mais ainda viriam ao longo da semana seguinte no que já pode ser considerada a maior oscilação das moedas virtuais desde fins de julho. De lá para cá, o que se viu foi uma queda vertiginosa e imparável nos preços.

Naquele momento, o bitcoin estava valendo US$ 4.276,57 no momento desta reportagem, operando em alta de mais de 12%. Para fins de comparação, a queda estava tão acentuada que a moeda fechou o mês de outubro valendo cerca de US$ 6.300.

Ethereum e litecoin operaramm em alta de cerca de 10%, o que está alavancando a valorização generalizada das criptomoedas nos últimos dias.

O que pode ter causado a queda dos últimos meses?

Especialistas no assunto se dividem quanto aos motivos das seguidas quedas de valor de criptomoedas no mundo. O que é certo é que a causa direta da perda de valor, naturalmente, é a forte pressão exercida pela venda da moeda pelos investidores, especialmente nas duas últimas semanas. Os motivos que levaram a essa busca por vender é que dividem os economistas, investidores e mineradores de criptomoedas.

Um dos motivos avaliados, inclusive, é uma suposta queda no ritmo de mineração de criptomoedas, o que causou uma redução na demanda pelas moedas virtuais. Outra razão citada foi um “hardfork” ocorrido durante a mineração do bitcoin em meados de novembro – em termos mais simples, um ‘fork’ acontece quando o mesmo blockchain tomou dois rumos distintos e paralelos, de igual valor, ao mesmo tempo, mas que segue regras diferentes.

No caso de um “hardfork”, isso significa que a ‘bifurcação’ que ele representa foi drástica e alterou a forma como a moeda é minerada e utilizada. O que passou a ser minerado depois dessa mudança não poderia valer de acordo com as regras anteriores, o que causou uma desvalorização forte e consecutiva pelos meses seguintes – até agora.

Moedas de Ethereum e Litecoin

Perspectivas para o futuro

Ainda é cedo para dizer que os últimos dias antes da retomada da valorização das criptomoedas tenham sido o fundo do poço. Recentemente, uma análise feita pelo Bank of America aponta que o mercado de criptomoedas tem tudo para chegar na casa dos US$ 7 bilhões, mas é impossível colocar um prazo para isso acontecer. No momento desta matéria, por exemplo, o valor total de capitalização do mercado de blockchains estava em US$ 131 milhões.

A valorização recente das criptomoedas e outras podem simplesmente ser um reflexo natural do mercado depois de baixas tão pesadas que fizeram o bitcoin voltar ao seu valor de outubro de 2017. Essa alta de curto prazo representa, na verdade, o óbvio: uma oportunidade de investimentos também a curto prazo, já que é difícil prever a flutuação do mercado de blockchain até o final do ano. A queda total do mês de novembro, depois da valorização de 10% de várias das moedas, ainda é de 34%.


Autor: https://xbinop.com / Imagens: VisualHunt, QuoteInspector on Visualhunt / CC BY-ND