Criptomoedas

Coréia do Sul planeja legitimar ICOs no país

O jornal The Korea Times informou na última semana que as autoridades Sul Coreanas têm se preparado para legitimar os ICOs. As Initial Coin Offerings ou Ofertas Iniciais de Moeda são rouds de arrecadação de criptomoedas por investidores comuns. A diferença entre um ICO e um IPO é que neste primeiro, as empresas envolvidas geralmente possuem a tecnologia blockchain como base.

Segundo o editorial, “as autoridades financeirs têm conversado com a agência de impostos do país, o Ministério da Justiça e outros gabinetes governamentais relevantes sobre um plano para a permissão das ICOs na Coréia quando certas condições forem atendidas”, conforme uma fonte anônima.

Coréia do Sul planeja legitimar ICOs

Caso o projeto seja implementado, será um grande revés. Em setembro do ano passado (2017), o governo proibiu estritamente as ICOs. A alegação era a de que as criptomoedas não podiam ser consideradas como dinheiro, produto monetário ou financeiro.

Apesar disso, a administração do país ainda não implementou regras sobre os ICOs e nem mesmo forçou as empresas a devolverem os fundos aplicados pelos investidores. O governo continua a permitir que investidores locais invistam em ICOs estrangeiras e exchanges operantes no país.

Kang Young-soo, supervisor das políticas de negociação de criptomoedas na FSC – Financial Service Commission afirmou que o principal regulador das políticas financeiras do país ainda não tomou uma decisão definitiva sobre a permissão das ICOs na Coréia do Sul.

Outra fonte contatada pelo jornal disse que espera que a ordem proibitiva sobre as ICOs seja revertida. Isto deverá acontecer após o país revisar suas bases legais a respeito das criptomoedas.

Tributação sobre os ICOs

A expectativa é de que o país planeje realizar uma tributação sobre as ICOs e/ou investimentos relacionados criptomoedas.

“Vários cenários, como a imposição de imposto sobre o valor agregado, um imposto sobre os ganhos de capital, ou ambos sobre o comércio”, disse uma fonte anônima. Outra fonte, também anônima comunicou que “a cobrança do imposto corporativo pelas exchanges locais, bem como o início de permutas autorizadas como  licenças estão sendo discutidas “. O objetivo parece ser o monitoramento do capital envolvido nas operações.


Imagem: Pixabay

E você? Acha que as prováveis mudanças que estão ocorrendo na Coréia do Sul podem impactar de forma positiva o futuro dos ICOs?

Entre na discussão