6 universidades para se estudar Blockchain

Sendo uma tecnologia que tem sido utilizada em várias aplicações, a Blockchain vem se consolidando como uma tendência tecnológica. Mais do que sinônimo de Bitcoin, a tecnologia tem sido bastante utilizada no Brasil no apoio a bancos e outras instiuições e até para a verificação de doações eleitorais.

Com o seu uso e adoção crescentes, eleva-se também o interesse no conhecimento do tema. Isto inclui profisisonais, geralmente de Ciências da Computação e Direito que desejam operar e entender melhor este sistema.

Alguns cursos já apresentam-se como referência internacional no tema e também sobre criptomoedas. A lista abaixo foi divulgada pelo site Trustnodes.

Cornell University – Nova York (Estados Unidos)

Sendo considerado uma das grandes referências internacionais em blockchain, a presença de Emin Gün Sirer faz toda a diferença nesta universidade. Na Cornell University, Emin é professor do Departamento de Ciências da Computação e também é responsável por ter criado o protocolo Bitcoin NG. Além disso, ele é o cocriador da Iniciativa para Criptomoedas e Contratos Inteligentes (IC3). Esta iniciativa desenvolve ações para disseminar operações envolvendo criptomoedas.

Vitalik Buterin na Universidade de Cornell,

Vitalik Buterin na Universidade de Cornell.

 

Universidade de Cambridge (Inglaterra)

Aos interessados no impacto econômico da tecnologia blockchain e não interessa-se por desenvolvimento de software, o Centro para Finanças Alternativas pode ser uma excelente escolha. Localizado na Universidade de Cambridge, lá são estudadas novas formas de aplicação da estrutura da cadeia de blocos nos sistemas tradicionais. Obviamente, as criptomoedas estão entre as áreas estudadas neste centro.

Universidade de Cambridge

Universidade de Cambridge

 

University College London – Londres (Inglaterra)

O UCL possui um espaço para a discussão da tecnologia blockchain. Trata-se do Centro para Tecnologias Blockchain. O centro conta com pesquisadores de áreas transversais à tecnologia. Lá, você encontrará profissionais desde a ciência comportamental à matemática aplicada conversando e convergindo sobre Blockchain.

De acordo com a universidade, mais de 500 alunos e 75 pesquisadores já se debruçam sobre o tema. Os números já exemplificam que este centro é um dos principais protagonistas no estudo da blokchain no mundo.

 

MIT – Cambridge, Estados Unidos

O MIT – Instituto de Tecnologia de Massachussets é uma da universidades mais famosas nos EUA. A instituição também é uma das pioneiras no incentivo a pesquisa sobre blockchain. O instituto ainda financiou desenvolvedores de criptomoedas e liberou o acesso ao bitcoin para alguns de seus estudantes de pós-graduação.

O  seu centro de pesquisas para blockchain  (blockchain.mit.edu) constantemente publica estudos e periódicos sobre o assunto. O MIT é conhecido por ter capacitado algumas das mentes mais brilhantes dos EUA.

Vista aérea do MIT.

Vista aérea do MIT.

 

John Hopkins – Baltimore (Estados Unidos)

Foi nessa universidade norte-americana que foi criada em 2016 a Zcash, uma criptomoeda feita pensando na privacidade das transações, com uma criptografia específica. A instituição tem um curso para introdução ao mundo do blockchain, indo desde os conceitos básicos às diversas aplicações, e o conteúdo está disponível online.

A Zcash, criptomoeda pensada para garantir a privacidade das transações foi concebida dentro do campus desta universidade em meados de 2016. A instituição conta co um curso sobre a Introdução ao mundo da Blockchain. O curso cobre desde os aspectos mais básicos as aplicações da tecnologia. O conteúdo do curso CS 601.641/441: Blockchains and Cryptocurrencies está disponível online.

Johns Hopkins University

Johns Hopkins University

 

Escola de Direito de St. Mary – San Antonio (Estados Unidos)

Para quem tem um maior interesse em explorar o aspecto jurídico da blockchain, esta universidade texana pode ser uma boa oportunidade. A professora Angela Walch é considerada uma pioneira no estudo do tema. Ela foi uma das primeiras pessoas a direcionar um código de ética para programadores blockchain. Conforme a tecnologia torna-se mais popular, sua discussão ética e jurídica torna-se cada vez mais pertinente.

 

 

Imagens: Cortesia de Trustnodes.